VOCÊ LÊ O RÓTULO DOS COSMÉTICOS?

10 de agosto de 2017 | - Pra Viver Bem - Saúde em Pauta

VOCÊ LÊ O RÓTULO DOS COSMÉTICOS?


Compreendê-los garante uma compra mais segura
 
Para muitos, passa batido, outros leem rapidamente e a maioria nem lê. Os rótulos dos cosméticos são essenciais para o consumidor saber o que está adquirindo e garantir uma compra segura e adequada às suas necessidades. Segundo a biomédica e técnica da Adcos BH, Eidi France, buscar informação e entender o que está descrito nos rótulos contribui para escolhas mais assertivas. “É importante que o consultor da marca de cosméticos ou o vendedor da loja explique claramente sobre o produto, seus ativos, finalidade, modo de usar, como conservar, mas compreender o rótulo ajuda ainda mais a tomar decisões. É nele que o cliente saberá se o produto é hipoalergênico, oil-free ou não-comedogênico, por exemplo”, afirma a profissional.
 
Além das informações básicas sobre o item, é possível saber sobre os ingredientes. “Eles vêm escritos na nomenclatura internacional”, explica Eidi France. “Pode parecer óbvio, mas nome e endereço da empresa que produz ou importa, SAC (serviço de atendimento ao consumidor), número do lote, precauções e advertências são obrigatórios, assim como a data de validade e o modo de uso”, indica a biomédica.
 
A biomédica separou algumas nomenclaturas e o que significam:
 
Parfum: É a fragrância do produto e pode causar irritação e alergia em algumas pessoas, por isso quem tem sensibilidade deve evitar cosméticos com fragrância.
 
Cyclopentasiloxane, dimethicone e outros nomes que terminam em -xane, -cone, -col ou -conol: São silicones que não causam mal à pele.
 
Propylene glycol: Serve para diluir outras substâncias ou dar sensação de hidratação.
 
Parafinum liquidum, mineral oil, petrolatum: São derivados do petróleo que podem entupir poros e também prejudicar o meio ambiente. Por isso, são contraindicados em produtos para peles acneicas, sensíveis e infantis.
 
 

Deixe seu comentário