Maria Vitória Abreu: de gordinha à maratonista. Saiba como!

03 de novembro de 2016 | - Fitness - EU VENCI

Maria Vitória Abreu: de gordinha à maratonista. Saiba como!
Por Maria Vitória Abreu
 
 
Imagine a cena de uns 5 anos atrás: uma menina grande e gordinha, com um short de futebol alaranjado, uma camisa da seleção brasileira e um CamelBack nas costas tentando correr na Av. dos Andradas em Belo Horizonte. Era hilário, há de convir. Pois foi assim que cismei de correr.
Por toda a vida tinha sido gordinha. Adorava esportes e sonhava em ter corpo de atleta. Mas com a faculdade, o trabalho e diversas outras atividades, fazia tudo pelos outros e esquecia de cuidar de mim. Após uma viagem aos EUA em 2008, voltei ainda mais gorda, subir escadas estava se tornando uma atividade difícil, e comecei a ter problemas circulatórios.
Até que uma amiga que emagreceu correndo, foi até a minha casa e acabou comigo! Disse que eu estava gorda e feia, que só usava roupas esquisitas, e que eu tinha uma barriga e um bumbum enormes! Como eu chorei nesse dia! Eu estava realmente acabada, não usava roupas bacanas, pois tinha vergonha do meu corpo, e não usava maquiagens, pois achava que ninguém ia dar atenção pra uma pessoa gordinha e feia.
 
Como na época eu não estava trabalhando, decidi que deveria aproveitar o tempo livre para caminhar. Uma outra amiga me deu o maior apoio e me levou para o Vigilantes do Peso. No início, estava com 93 Kg, fiquei durante um mês e meio só caminhando e sonhando em correr como os outros que passavam por mim na pista de cooper.
 

Após esse período, com uns 5 Kg a menos e reeducando a alimentação, decidi começar a correr. Peguei meu short laranja, um tênis velho, uma camisa da seleção brasileira (era a única de tecido leve que eu tinha) e um camelback! Quando eu cheguei na pista eu disse: “- É hoje!” E fui.  Apenas 100 metros e quase caí dura! Tomei bastante água e prossegui. Mais 100 metros. E quase morri de novo. Assim foi dia após dia. À noite meus joelhos doíam tanto que tinha que enfaixá-los com remédio para conseguir voltar à pista no dia seguinte. Minha mãe dizia para eu parar, que não ia conseguir, pois deveria ter algum problema no joelho que não me deixaria correr. Então decidi ir ao médico pra tirar a dúvida (a dúvida da minha mãe, pois eu tinha certeza que o problema era o excesso de peso! kkk) E claro, o diagnóstico foi esse mesmo. Daí falei: “- Doutor, deixa que isso eu já estou resolvendo!” E continuei.
 
Um dia passando pelo centro de BH, me deparei com uma placa que dizia: “Casa do Corredor”. Entrei para ver do que se tratava. E ali tive uma grande surpresa. Sem nem me conhecer, sabendo que nunca havia participado de uma corrida, o proprietário da loja, me convidou para entrar para a equipe. Eu pensei: Esse cara é louco! Vou acabar com a equipe dele! Nas paredes só haviam fotos de bons corredores. Nas prateleiras medalhas e troféus, e eu que mal estava aprendendo a correr, já fui chamada para participar.
 
Em abril de 2009, apenas 6 meses após começar do zero, me inscrevi na minha primeira corrida, e de cara já encarei 10Km. Fiz em 54 minutos. Não fazia idéia do que era esse tempo, mas me disseram que eu deveria continuar treinando, agora com supervisão, para que eu pudesse melhorar. E assim eu fiz.
 
Conheci meu treinador em 2009, o grande Mestre Adriano Maron. Nessa época, eu ainda não havia conseguido emprego, e estava terminando minha pós-graduação. Cheguei pra ele e disse: “-Olha, eu não tenho dinheiro pra te pagar, mas eu quero correr, você me treina?” E ele não hesitou em aceitar. E disse: “Se você ganhar algum prêmio em dinheiro, você me dá 10%.” Pensei novamente: esse cara é louco, vai morrer de fome se depender de mim! kkkk
Aos poucos meus tempos foram baixando, de 54’ nos 10Km para 49’, 47’, 45’, 41’… E agora não sei onde vou parar!!! Ah, e já cheguei a dar vários 10% para o meu treinador! Nada que pagasse mais do que algumas fatias de pizza nas nossas comemorações, mas certamente algo muito significativo pra mim!!! Fico orgulhosa quando rola um 10% pra ele! rsrs


 
A corrida agora é minha vida, não imagino mais viver sem ela! Gosto muito de ajudar outras pessoas a começarem a correr também, espero poder mostrar pra elas que é possível, e que se eu consegui qualquer um pode conseguir!
 
@mvitoraabreu
vaumpracima.blogspot.com.br
 
 

Deixe seu comentário