Como ter uma vida longa e saudável?

21 de novembro de 2017 | - Pra Viver Bem - Saúde em Pauta

Como ter uma vida longa e saudável?

Os avanços tecnológicos e na medicina são os principais motivos para a população do país conseguir viver por um período maior


Envelhecer é inevitável, e a população brasileira nunca viveu essa realidade de uma forma tão intensa: segundo estimativas e previsões divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas acima de 65 anos deve quadruplicar até 2060, chegando à marca dos 58,4 milhões de idosos morando no Brasil. Porém, contar com uns anos a mais na bagagem não é motivo para não viver a vida ao máximo, e cada vez mais pessoas estão priorizando o envelhecimento saudável.

“Os avanços tecnológicos e na medicina, que erradicaram doenças ao longo do tempo e estimularam maior conscientização sobre cuidados pessoais e prevenção de doenças, são os principais motivos para a população do país conseguir viver por um período maior”, afirma a endocrinologista Emanuela Cavalari, integrante do corpo clínico do laboratório Bronstein.

Nunca é tarde para começar a se cuidar e se preparar para viver bastante. Confira as dicas para uma vida longa e saudável.

Priorize uma dieta com bons alimentos

Muitos alimentos podem ser bons adjuvantes no processo de envelhecimento. Alimentos ricos em ômega 3, como salmão, atum e castanhas, têm efeito benéfico no colesterol e protegem as células do cérebro. Uma dieta equilibrada, rica em frutas, vegetais e laticínios com baixo teor de gordura, fornece cálcio, que contribui para a prevenção de fraturas, bem como numerosos nutrientes necessários para uma boa saúde. Por outro lado, exagerar na ingestão de carboidratos pobres em fibras, como o pão e arroz brancos, de alimentos gordurosos e de bebidas alcoólicas pode aumentar as chances de desenvolver doenças ao longo da vida.


Foque nas vitaminas

Segundo o dra. Emanuela, a vitamina D está relacionada com a saúde óssea e muscular, contribuindo para a prevenção de distúrbios como a osteoporose. Recomenda-se que todas as mulheres após a menopausa e homens acima de 50 anos devem ter os níveis de vitamina D avaliados caso encontrem-se baixos. Outros grupos de vitaminas que oferecem muitos benefícios são: vitamina C (encontradas na acerola, no caju, na goiaba e na laranja), que atua como antioxidante e participa da produção e manutenção do colágeno; vitamina B12 (carnes, frutos do mar, ovos e laticínios), que é importante para a produção dos glóbulos vermelhos do sangue e prevenção da anemia, bem como para a prevenção de distúrbios neurológicos; e a vitamina A (cenoura, espinafre, couve), que é essencial para a o sistema inume e para visão, podendo ocasionar até cegueira nos casos de deficiência grave dessa vitamina.

Exercite o cérebro e cultive amizades

Manter o cérebro funcionando o máximo possível, com exercícios mentais, leitura e jogos, ativa a comunicação cerebral, preservando as capacidades intelectuais ao longo da vida. Além disso, um estudo conduzido na Suécia mostrou que pessoas solitárias têm 60% a mais de chances de desenvolver demência na velhice. E para prevenir esse mal, basta manter uma rede de amizades ativa e de qualidade ao longo da vida.



Saúde do corpo

Outra boa dica para manter a saúde do corpo é caminhar todos os dias; além de combater o ganho de peso, também ajuda a relaxar e a fortalecer os músculos. O cuidado com a postura também deve ser lembrado: o corpo sente mais os efeitos da gravidade depois dos 40 anos e pode acabar sentindo esses efeitos mais rápido e de forma mais intensa. Além disso, recomendam-se exercícios regulares de fortalecimento muscular para melhorar a agilidade, a força, a postura e o equilíbrio e reduzir o risco de quedas e fraturas.
Exames essenciais e vacinas que salvam

Além de atividades físicas, a saúde do corpo também precisa ser checada periodicamente através de exames. Sabe-se que as doenças cardiovasculares são as que mais matam no Brasil, então, cuidar do colesterol e fazer os exames indicados é essencial para manter o coração saudável. Faça também exames regulares de urina, fezes e sangue, que indicam sinais de anemia, diabetes, problema nos rins e no fígado.
No caso das vacinas, é bom ficar atento às que precisam de reaplicação da dose depois de alguns anos, como a vacina do tétano – que deve ser tomada a cada dez anos. Com a chegada da terceira idade, algumas doenças, como a gripe, causada pelo vírus influenza, podem ser uma ameaça, então, é importante tomar as vacinas sazonais também. A partir dos 60 anos, são indicadas as vacinas contra o pneumococo e contra o herpes zóster, que acometem principalmente idosos.
 

Deixe seu comentário