Aviofobia: Você também sofre desse mal

23 de maio de 2017 | - Pra Viver Bem - Saúde em Pauta

Aviofobia: Você também sofre desse mal
No Brasil, 57% da população que viaja ou pretende viajar, opta pelo transporte aéreo e esse número aumenta a cada ano. Entretanto, muitos indivíduos sofrem de aviofobia (medo de viajar de avião) e, além dos incômodos físicos e emocionais decorrentes do problema, podem sofrer, também, com os prejuízos profissionais.
 
A aviofobia é algo bastante comum. O grau de pavor de voar é que pode variar muito de pessoa para pessoa. Os motivos desse medo também variam e vão desde o medo de que o avião caia até simplesmente se imaginar atingindo uma altura tão considerável. Muitas pessoas sofrem deaviofobia mesmo sem terem viajado de avião.
 
Segundo a psicóloga, Daniela Boggione, “esse medo pode surgir repentinamente, sem nenhuma causa “real”; pode estar relacionado a algum incidente aéreo sofrido pela pessoa ou relatado/lido e, ainda, pode surgir após acontecimentos sem qualquer correlação com o avião, como nascimento de filhos, por exemplo.”
 

As evidências e estatísticas de que o avião é o meio de transporte mais seguro, não impede que um grande número de pessoas sofra de aviofobia. Portanto, para os indivíduos aviofóbicos, essas informações sobre a segurança desse meio não fazem diferença.
 
“As sensações de incômodo variam de pessoa para pessoa, bem como, o momento em que começam. Pode ser na data da compra da passagem, na semana que antecede a viagem, na véspera, na saída para o aeroporto, no embarque e dentro do avião em momentos específicos (decolagem, pouso ou durante turbulência)”, afirma Daniela.
 
As principais sensações físicas verificadas nas crises de aviofobia são: tremor, náusea, taquicardia, falta de ar e sudorese. Já as psicológicas são: ansiedade, nervosismo e irritação. Pode-se afirmar que o medo de avião está relacionado aos pensamentos e projeções sobre todas as possibilidades negativas que podem acontecer ao viajar na aeronave. Em alguns casos, o aviofóbico pode até mesmo cancelar a viagem, como tentativa de fuga, devido ao grande pavor.
 
A aviofobia pode transformar a viagem e a expectativa do passeio em algo completamente angustiante e doloroso para quem sofre desse medo. O entendimento sobre qual é, realmente, o medo, e a quê ele está relacionado é um dos primeiros passos para o tratamento do problema. Técnicas de relaxamento, de terapia cognitivo comportamental e hipnoterapia auxiliam com sucesso as vítimas desse medo.
 
E para essas pessoas, Daniela desenvolveu o programa Sem Medo de Voar. Por meio de um processo terapêutico breve, os pacientes são levados a desenvolver habilidades de enfrentamento e até de superação do problema. “É muito comum as pessoas nos procurarem quando a coisa atinge limites insuportáveis. Além de toda a angústia, elas se veem privadas de certo tipo de lazer e até de oportunidades e obrigações profissionais por conta disso. Aí percebem que a terapia focada no medo de voar se faz necessária e procuram ajuda. Felizmente, o resultado é sempre muito positivo. Dizemos que é, sim, possível voar, sem sentir medo”, completa.

 

Deixe seu comentário